quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Faca de dois gumes.

Você pensa muito na vida?
Eu penso! Acho que até demais. Ainda mais quando algo acontece e de alguma forma acaba me marcando ...para sempre.
Você é sensível?
Eu sou! E acho que todos deveríamos ser.
Um fato ocorrreu nesta última terça-feira, mexeu comigo e já estou há quase três dias só lembrando dele e pensando, pensando, pensando...tenho que passar isso pra cá! Para a minha válvula de escape.
Tudo bem que certas coisas peculiares parecem acontecer só comigo. Sei lá, devo ter uma espécie de imã capaz atraí-las. rs
Pois então, vamos ao fato. Estava eu sentada num banco dentro de um ônibus (261 sentido Carioca/Marechal Hermes)perto do corredor e da porta traseira, ouvia música, olhava pela janela e pensava na vida [haha, pra variar! - sim , sou meio distraída na rua e, nos dias de hj isso não é mt bom :/] . Eis que meu aparelho de mp3 desliga. Aff, grrr! A pilha acabou! Procuro uma outra de reserva na bolsa mas...ora, ora também estava gasta!PQP! Odeio quando isso acontece...enfim, guardei-o na bolsa. -_-
Nesse momento, a porta de trás se abre e, ao mesmo tempo que um passageiro desce,um outro ser sobe. Por trás mesmo... sabe-se lá se o motorista permitiu.
Era um menino. Um pequeno menino de rua. Era pequeno mesmo e bem mulambento, sujo, com umas roupas rasgadas e chinelos de dedo. Ele segurava uma espécie de pochete e aparentava ter uns oito ou nove anos de idade.
Pronto! Logo pensei: "Ou ele venderá algo ou... pedirá algo."
Voltei a olhar vagamente pela janela só que, ao mesmo tempo, tentava prestar atenção no que o "molequinho" faria.
Ele começa seu criativo "discurso"com uma voz bem fininha de criança, carregada de sotaque, gíria e pura malandragem :
"Meu nome é fulano de tal, tá ligado?Mas eu tenho um apelido...pode me chamar de 'Beijoquêro'. Tô aqui, hulmidemente, pra pedir uma ajuda pra vocês...qualquer coisa! Até cinco ou dez centavos. Mas po, sabem porque me chamam assim de 'Beijoquêro'? Por isso ó... "

SMACK!
Adivinha? A criança se vira para uma pessoa, com um dos braços a segura e tasca um beijo na bochecha!
A pessoa? Esta que vos fala! Eu.
Minha reação, nem sei esboçar...acho que foi meio sem ação e sem noção, rs. Um riso com a situação, talvez. Haha, fui a primeira, entretando, não fui a única. O "Beijoquêro" fez jus ao apelido e beijou grande parte das pessoas presentes, tanto homens quanto mulheres. O ônibus não estava completamente lotado, apesar das maioria dos bancos ocupados...isso permitira que o menino circulasse pra lá e pra cá no corredor.
Grande parte dos passageiros admirou-se com a atitude criativa daquela criança. Alguns sorriam e brincavam com ele, uns conversavam entre si e/ou com ele, outros mexiam em seus bolsos provavelmente pegando algum trocado, outros falavam gracinhas ou debochavam. E eu ali, sem fazer nada semelhante a eles...simplesmente parada observando tudo aquilo e pensando...pensando no tipo de sentimento que esse pequeno ser possa ter despertado em cada uma daquelas pessoas.
Não é que ele conseguira o que queria? Seu método parecia ter funcionado e conquistado os demais presentes. Várias pessoas pareciam comovidas e começavam a catar algo para dar de agrado ao menininho. Foi o ápice.
Será que é a proximidade com o Natal? Até pensei, rs.
Não vou negar, até eu tentei achar umas moedinhas...

De repente, toda aquela animação causada começara a se transformar, já que para surpresa de todos, o guri solta mais coisas: "Pô gente, já beijei muito, quero ver quem vai poder me ajudar agora...tô passando essa bolsa, quem puder, me dá umas moedinha aê!"
" Pô tio, só isso? Dá uma de um real aí, pára de miserinha." (haha, só faltava essa, ele assistia aos vídeos dos DEZnecessários com o famoso traficante gay? )
" Pô moço, tô vendo umas notas aí no seu bolso...não tem moeda, me dá essas nota aê, hehehe"
" Pô tia, dá umas moedinha!...ah, que isso...que pobreza...vocês estão muito pobres!"
Nossa!Folgadinho, né? Depois dessa, muitos comentaram isso também.
Por fim, ele solta uma última e mais impactante frase que faz mudar todo o rumo da coisa:
"OLHA SÓ, peguei isso no restaurante!OLHA SÓ, peguei isso no restaurante!" [ e sacode e mostra para cada passageiro a tal pochete, que parecia estar com moedas, pois faziam barulho]
Percebi que à medida que cada pessoa olhava pra dentro da tal bolsa do menino, a fisionomia delas mudava. Havia cara de espanto, tensão, surpresa e até mesmo ouviam-se algumas exclamações e pequenos cochichos. Até que ele passou por mim e, na curiosidade, estiquei o pescoço para descobrir o que tinha assustado tanto o povo.
Então, eu vi e logo entendi tudo...tinha uma coisa lá dentro. Tinha sim...era uma faca!Pontuda e bem afiada por sinal.
O tal menino aparentemente carinhoso e carismático do início, transformou-se numa espécie de ameaça. Ele tinha um pequeno poder em suas mãos. E o pior, fazia questão de exibir sua "arma" que continuava a balançar dentro da bolsa, mostrando-a para nós. Um outro ápice.
Todos pareciam apreensivos e, obviamente, ninguém fez nada. O ônibus seguiu seu trajeto normal. Dois pontos depois, o "Beijoquêro"desceu, agradecido, pelo mesmo lugar que subiu. E nós permanecemos lá, aliviados e embasbacados com o ocorrido.
O tal garoto conseguiu nos levar, em cerca de minutos, a tipos e níveis de sentimentos tão opostos que. . .sei lá, fiquei pasma. Quase perdi meu próprio ponto na hora de descer e, depois daquilo, continuei a viajar nos pensamentos .
É algo a se pensar... talvez seja como dissera o poeta Augusto dos Anjos: "A mão que te afaga é a mesma que te apedreja."
Um carinho singelo, uma (quase) agressão, pessoas, dois ápices e uma faca de dois gumes.

3 comentários:

Thamiris Leiroza disse...

eu fico 'embabacada' - desculpa a expressão, fico boquiaberta, com o jeito que escreve. É surpreendente. EU AMO AMO AMO suas histórias, e seu mais novo poema [que é LINDO DE MORRER]. Sou sua fã! Quero um livro seu já!!!

juliana disse...

Minha mãe! xO Camila...o mundo tá perdido mesmo!

Gabriel Machado disse...

Ônibus dão muitas histórias... Que situação bizarra!
Escrevi até uma história, chamada "Seja o que Deus quiser..." lá no meu blog. E pretendo colocar outras coisas.